Economizar X Poupar X Investir

Economizar X Poupar X Investir

Como estão as suas finanças? Quando você pensa nelas, percebe que está tudo dentro do controle? Diversas pessoas responderão que NÃO! Isso porque muitas confundem economizar com poupar dinheiro e investir. Apesar delas serem parecidas, possuem um significado bem diferente.
Na educação financeira, economizar, poupar e investir tem ações diferentes e são etapas essenciais para ter uma vida financeira saudável. Falando assim, até parece ser fácil, não é mesmo? Porém, aplicar e colocar em prática é bem diferente. Então, que tal entender melhor cada uma das delas?
Então, que tal entender melhor cada uma das ideias? Saiba, neste post, o que representa economizar, poupar e investir dinheiro.

ECONOMIZAR
Já falamos diversas vezes sobre GASTAR MENOS DO QUE GANHA. Então, o primeiro passo para ter uma vida financeira equilibrada é economizar, ou seja, quando você diminui os gastos diários/mensais. Peça descontos, escolha produtos ou serviços mais baratos, siga a lista do mercado, cancele serviços desnecessários e, ao sair com amigos, não pague a conta com UM RIM!

POUPAR
Assim como a palavra mesmo diz, poupar é aquela quantia que você deixou de gastar. É reservar uma parte do seu dinheiro para gastar com imprevistos, ou seja, quando você consegue economizar o dinheiro para uma determinada demanda. Por exemplo, economizar para a reforma da casa/viagem de férias.

INVESTIR
Investir pode ser mais fácil de entender!
Quando poupar já faz parte da rotina, está na HORA de investir, mas como?
Aplique o dinheiro em investimentos financeiros e use os juros compostos a seu favor. Então, basta escolher uma modalidade de aplicação financeira para fazer essa quantia render.

Mantenha o controle dos gastos!

Mantenha o controle dos gastos!

Possuir uma vida financeira equilibrada é o sonho de diversas pessoas. Essa meta é alcançável para quem sabe administrar os próprios gastos. Porém, você sabe como gerenciar esses valores? Conseguir administrar os gastos pode ser útil para muitas finalidades: investir e ter retorno financeiro, criar reservas de emergência e comprar imóveis. Entretanto, para ter um planejamento financeiro eficiente, não basta saber quanto você ganha e quanto você gasta. Planejar vai muito além disso. Requer bons hábitos e um levantamento detalhado das finanças, desta forma, ajudando a identificar gastos desnecessários, reduzir despesas e encontrar alternativas de renda ou mudanças para deixar a sua conta sempre no azul.

Que tal começar esse novo processo criando uma planilha de finanças pessoais? Vamos passar algumas dicas iniciais. Anote tudo o que ganhar e gastar, ou seja, todas as fontes de receitas e todas as despesas, até mesmo as menores e eventuais. Comece com duas divisões: despesas fixas e variáveis. A fixas são as despesas que, em todo mês, o valor é igual, as variáveis sofrem alterações, como mercado e energia. Há também as despesas eventuais, porém, é para elas que, muitas vezes, é necessário possuir as economias.

Ao fazer esse levantamento, você percebe que as despesas estão maiores que a receita, o que fazer? Revise o orçamento. Anote os estabelecimentos e as pessoas que você possui uma dívida, não esqueça de incluir o cheque especial, faturas do cartão, empréstimos e investimentos. Após isso, escolha as principais para pagar primeiro, priorize conta de água, luz e aluguel, sem esquecer daqueles com juros mais altos. Você também pode optar por gerar alguma renda extra, desta forma, será uma maneira de auxiliar nas despesas. E claro, não esqueça de reduzir os gastos fantasmas.

Comece hoje, o seu futuro financeiro só depende de você!

Curto, médio ou longo prazo? Como investir da melhor forma!

Curto, médio ou longo prazo? Como investir da melhor forma!

Os investimentos precisam ser bem planejados e executados por quem deseja aumentar seu poder de compra. Porém, você estabelece metas para serem realizadas em período longo, médio ou curto prazo?

Qualquer pessoa que deseja investir deve aprender a conter a ansiedade e planejar. O ideal é escolher o melhor investimento para a sua realidade, ou seja, que faz sentido para a realização de suas metas. Primeiro, é preciso estar ciente que é necessário cortar algumas despesas, principalmente aqueles gastos fantasmas, já ouviu falar? Os cafezinhos, os pães de queijos e aquele pastel de todas as manhãs ou de todas as tardes.
Antes de você começar a investir, é preciso entender qual o melhor método para você alcançar aquele objetivo. Os investimentos de longo prazo são aplicações financeiras para conquistar uma meta com mais de 5 anos e exigem maior rentabilidade: faculdade dos filhos ou compra de imóveis. Diante disso, o cuidado com a sua aplicação deve ser redobrado, assim como a rentabilidade é maior, os riscos também são.

As aplicações para investimento de médio prazo são projetos que exigem mais planejamento e tempo, entre 2 e 5 anos. Dentro desses objetivos, podem estar a viagem dos sonhos, reforma da casa, e até mesmo, a compra/troca de um carro. Os investimentos para um curto prazo, devem ocorrer em até 2 anos, ou seja, uma reserva financeira para você utilizar quando precisar. Esse valor pode ser usado para um evento inesperado, ou também, um objetivo pré-determinado, como uma viagem curta de férias e troca de eletrônicos.
Agora que você aprendeu um pouco mais sobre o melhor método de investimento, está na hora de aplicar. Qual é o ideal para conquistar o seu objetivo, longo, médio ou curto prazo?

É hora de ter uma vida financeira equilibrada!

É hora de ter uma vida financeira equilibrada!

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada em fevereiro deste ano, mostra que 61,5% das famílias brasileiras contém dívidas, em atraso ou não). E o que mais chama a atenção, é que esta cultura de endividamento começa a ser desenvolvida, em muitos casos, na adolescência.
O equilíbrio é fundamental para o seu futuro. Este estilo de vida deve começar o logo. Quanto mais tarde você iniciar, mais complicado será.


Possuir uma vida financeira equilibrada é essencial para aumentar o seu capital e atingir os seus objetivos. Porém, diversas pessoas acreditam que ter uma melhora na qualidade financeira é muito difícil, quando, na verdade, demanda apenas organização. Reorganizar a vida financeira depende de atitudes simples, como pensar nas prioridades ao gastar dinheiro.

Educação financeira: o que devo saber?

Educação financeira: o que devo saber?

Você acredita que “ter dinheiro” ou “ser rico” está ligado a sorte? Pois bem, ter uma vida financeira equilibrada depende de uma boa educação financeira, a partir disso, poderá ser conquistar a sua independência. Mas você deve estar se perguntando, por onde devo começar? Antes de qualquer coisa, é preciso ter um planejamento financeiro eficiente. Tenha o hábito de anotar os detalhes de todas as despesas, com isso, poderá identificar os gastos desnecessários, encontrar possibilidades de uma nova renda, além de um novo estilo de vida.


Para você ter o controle de todas as anotações, monte uma planilha de finanças. Anote todas as receitas e despesas, desde aquele café com os amigos até grandes compras. Planeje gastos futuros como, por exemplo, presentes em datas comemorativas, e assim, crie uma pequena poupança. Aproveite para fazer este exercício todos os meses. Veja onde você pode reduzir gastos.


Fique atento! Você NÃO pode gastar mais do que ganha. Caso isso estiver acontecendo, é hora de agir. Saiba para onde está indo o seu dinheiro. Fique ligadinho em nosso site, aqui, você terá muitas dicas de como ter uma vida financeira equilibrada.